Notícias

Proteção das mãos: a importância da escolha ideal de luvas

  • 12/12/2017
  • 0 COMENTÁRIOS

Proteger as mãos durante uma atividade que oferece risco é assunto sério. No dia a dia, muitas vezes não nos damos conta, mas temos um bem precioso, uma grande ferramenta do nosso corpo que sempre precisa de proteção durante o trabalho. O consultor técnico da Yeling, Fabio Almeida, explica que muitos dos acidentes dentro das indústrias são decorrentes de corte e prensagens, e que atualmente, cerca de 60% dos acidentes que acontecem dentro da indústria, relacionado a membros superiores, as mãos são as partes mais afetadas. “A prensagem de mãos está mais relacionada a máquinas, e ao carregamento de mercadorias. Mas o mais corriqueiro é corte, que pode ser desde uma fissura simples até amputação do membro. Com relação à prensagem das mãos, atualmente existem tecnologias, como máquinas com comando bi manuais, que contribuem para a diminuição desse tipo de acidente. Já relacionado ao corte, a procura de luvas de proteção para este risco, tem aumentado consideravelmente”..

 

Com o mercado mais inclinado à procura de proteção à cortes, o especialista também ressalta a atualização da norma EN 388:2016 que traz como principal mudança um novo método de teste de resistência à corte para as luvas. Porém, mesmo procurando por luvas de proteção com excelência de qualidade, deve-se ter atenção na hora da escolha. “Quando se fala em tipo de luvas de proteção, está se falando de uma análise de risco que o trabalhador vai estar enfrentando. Por isso não existe uma hierarquia, uma luva que é principal e outra que é secundária. Não é: esta é melhor do que aquela. Cada uma tem uma especificação pra cada tipo de atividade”.

 

Um ponto curioso a se destacar é que as luvas de proteção não tem prazo de validade exato. “Se você comprar luvas de proteção e colocar em estoque, o prazo de validade é indeterminado. É claro que existem cuidados. Se a luva ficar exposta a ambientes inadequados em sua estocagem, de alguma forma haverá degradação”, explica o especialista. Neste sentido, o que determina o prazo de validade da luva é a atividade exercida e também quem está fazendo uso. “Às vezes em uma mesma atividade, um determinado funcionário gasta mais do que o outro. Então, o que determina a validade é a atividade e o uso, que varia de pessoa para pessoa”.

 

Entre as principais dicas para proteção estão: manter as mãos sempre visíveis em qualquer atividade, nunca deixar de utilizar as luvas e também usar cremes de proteção. “Se acontecer um rasgo na luva ou uma perfuração, e se, por exemplo, um produto químico penetrar na luva, o creme está ali para fazer uma proteção secundária”, lembra Fabio Almeida. Ele destaca ainda que a mão é a maior ferramenta do corpo e a utilizamos para quase tudo. Por isso, antes da escolha, também a dica de sempre pesquisar bem como orienta o especialista. “Sempre buscar um material que tenha maior qualidade possível e nunca optar por um material mais barato, a não ser que tenham opções de produtos, sob a mesma qualidade”.