Dicas de Segurança

Trabalho a quente e a proteção

  • 13/10/2017
  • 0 COMENTÁRIOS

Todas as indústrias e empresas devem estar atentas no que se refere à segurança dos seus trabalhadores. Entre as situações que devem estar a atenção está o trabalho a quente. Onde ele existir, é importante que haja um esforço para reduzir os riscos, especialmente, de incêndio.  

Por isso, é importante entender o conceito dessa atividade: nela, há o envolvimento de chama aberta ou a produção de calor e/ou centelhas capazes de iniciar incêndios ou explosões. De acordo com a NR-34. S entre os exemplos desse tipo de atividade estão: a soldagem, corte, esmeril, brasagem, etc. Além desses, há  também os serviços em áreas elétricas, que podem conter atmosferas inflamáveis ou explosivas.

Esta não é uma listagem completa, mas pode servir para realçar os tipos de atividades que constituem trabalho a quente. Segundo profissionais do setor, os trabalhos a quente continuam sendo uma das principais causas de incêndios em indústrias e estabelecimentos comerciais. Por conta disso, todo cuidado é pouco. Fique por dentro das medidas de prevenção para esta atividade:

  • Se possível, realize o serviço na oficina, onde o ambiente é controlado e a operação é mais segura;
  • Afaste materiais combustíveis ou inflamáveis num raio de 10 metros do ponto da tarefa;
  • Os materiais que não puderem ser afastados devem ser protegidos com coberturas incombustíveis (mantas);
  • Proteja também os pisos combustíveis;
  • Feche aberturas em paredes e aberturas entre pisos, para evitas que fagulhas incandescentes atinjam outros locais provocando incêndios;
  • Verifique se o outro lado da parede ou forro junto ao local de trabalho não contem revestimentos ou outros materiais combustíveis, removendo-os antes da operação.
  • Prepare-se para emergências, com agentes e extintores adequados;
  • Junte todas estas medidas e outras relevantes em uma Permissão de Trabalho a Quente, que deverá ser emitida e aprovada antes que qualquer tarefa desse tipo seja realizadas.

(Fonte: Revista Proteção, set 2017, p. 97)

(http://www.agcs.allianz.com/assets/PDFs/risk%20bulletins/ARCN%20Gerenciamento%20de%20Trabalhos%20a%20Quente%20%28BR%20May%202011%29.pdf ; http://www.protecao.com.br/upload/protecao_protegildo/158.pdf)