Dicas de Segurança

Saiba quais as principais razões que levam trabalhadores a não utilizar EPIs

  • 01/09/2017
  • 0 COMENTÁRIOS

O incômodo é uma das razões apontadas pelos trabalhadores para o não uso de equipamentos de proteção individual (EPI). Chegar ao trabalho e trocar de roupa, vestir um macacão, capacete, botas de borracha passa a ser uma rotina que traz um pouco de insatisfação, já que, em alguns casos, as vestimentas também não oferecem conforto.

Segundo especialistas, entre as demais causas que levam as pessoas a não optarem pelo uso dos equipamentos estão: a higiene, já que as peças, mesmo quando passam por processo de limpeza industrial, não são bem vistas aos olhos dos usuários devido à grande rotatividade de uso; o esquecimento (por isso é preciso manter uma rotina em que esse aparato esteja antes do início da atividade laboral); o cheiro dos equipamentos (botas/usos) devido ao longo tempo de uso e o estado de conservação do EPI.

Os fatores de resistência para o uso do EPI são fáceis de serem compreendidos e também corrigidos. No tocante ao estado de conservação do equipamento, por exemplo, é preciso lembrar que eles têm prazo de validade. Ou seja, se estiver com aparência de desgastado, é preciso solicitar um novo. O que não pode é utilizar-se disso como desculpa para não fazer o uso desse item que protege e garante a segurança e saúde do profissional.

Em reportagem no site Equipe de Obra, o consultor em segurança no Trabalho Giovani Pons Savi, explica que o cenário comum de recusa de operários diante do uso de EPIs nos canteiros brasileiros ocorre principalmente quando o trabalhador apenas recebe o equipamento de proteção individual sem qualquer instrução de como e o porquê devem utilizar. Segundo ele “Algumas vezes o EPI é desconfortável ou o ritmo de trabalho é diminuído pelo uso do equipamento de proteção. Também ocorre de as chefias imediatas fazerem ‘vista grossa’ e até incentivar o trabalho sem EPI, por pensarem apenas na produtividade, sem se preocupar com os riscos. Na verdade, essas pessoas não têm conhecimento algum sobre Segurança no Trabalho”.

O especialista explica que alguns dos problemas relacionados à falta de entendimento do trabalhador sobre a importância do uso de EPI pode ser resolvido a partir do diálogo entre as empresas e os funcionários, como em situações relacionadas ao conforto oferecido pelo equipamento. “Na maioria dos casos existem equipamentos de proteção individual que podem ser substituídos por similares. Mas também há casos em que se deve conscientizar o trabalhador de que a segurança que o equipamento traz é fundamental para o exercício de sua atividade”.

 (Fonte de pesquisa: https://www.institutosc.com.br/web/blog/seguranca-do-trabalho-porque-as-pessoas-nao-gostam-de-usar-epis
http://segurancadotrabalhonwn.com/convencendo-o-trabalhador-a-usar-o-epi/ ; http://equipedeobra.pini.com.br/construcao-reforma/50/artigo262892-1.aspx)