Dicas de Segurança

Saiba mais sobre a PAIR – Perda Auditiva Induzida por Ruído Ocupacional

  • 09/06/2017
  • 0 COMENTÁRIOS

Poucas pessoas, ou quase ninguém costuma parar para pensar na possibilidade da perda auditiva. Mas todos sabem o quanto ouvir é importante para uma vida com qualidade.

 

Por isso, o sentido da audição deve ser valorizado, e muito mais, ele tem sido motivo de preocupação também dentro do ambiente profissional. Afinal, é nele que os ruídos de máquinas e afins estão presentes e os trabalhadores expostos à PAIR – Perda Auditiva Induzida por Ruído Ocupacional.

 

De acordo com especialistas do IBEP, com a PAIR ocorre a diminuição gradual da acuidade auditiva, decorrente principalmente da exposição contínua a elevados níveis de pressão sonora em ambientes de trabalho, mas não só, essa também pode provir de produtos químicos: metais (arsênio, chumbo, cobalto, manganês e mercúrio), gases asfixiantes (cianeto, nitrato de butila e monóxido de carbono) e solventes orgânicos (tuleno, xileno,estireno, dissulfeto de carbono, tricloroetileno, n-hexano e butanol).

 

Segundo estudos, o risco da PAIR pode ser agravado para os trabalhadores quando a média da exposição está acima de 85 dB (A) em 08h de trabalho, sendo que a exposição contínua é o pior caso. Além do tempo de exposição, existem outros fatores que podem influenciar a PAIR, como a característica do ruído, as condições de trabalho e saúde, a susceptibilidade individual e exposições simultâneas de produtos químicos e vibrações.

 

A PAIR pode ser encontrada principalmente em ramos como: têxtil, siderurgia, metalurgia, papel, vidraria entre outros. Quais são as prevenções contra a PAIR? A PAIR não tem cura, porém é importante lembrar que a perda auditiva não provoca incapacidade e mas sim limitações. Para prevenção da PAIR as empresas devem adotar o PPRA (Prevenção de Riscos Ambientais), o PCA (Programa de Conservação Auditiva) e o PCMSO (Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional).

 

Tanto colaboradores quanto empregadores devem preocupar-se com a possibilidade de PAIR em seu ambiente de trabalho. Isso, principalmente, pelo fato de que não há tratamento  para cura da perda. Assim, antes que ela se instale é preciso estar atento e realizar atitudes preventivas.

 

Segundo o Boletim da FUNDACENTRO desde 2007 a 2012 foram notificados 1.872 casos de PAIR no Brasil sendo que a região sudeste concentrou o maior número com 64,9%. Especialistas apontam que há falta de registro de muitos dos casos, o que levaria a um aumento no número. Infelizmente isso mantém a doença invisível aos olhos da sociedade e dos órgãos oficiais que poderiam oferecer mais atenção aos trabalhadores afetados.

 

Uma das formas de prevenção da PAIR está no uso do EPI – Equipamento de Proteção Individual adequado à audição. É com este hábito que a empresa e o empregado irão se prevenir dos impactos da doença no ambiente de trabalho e na qualidade de vida.

(Fonte pesquisa/adaptação: http://blog.inbep.com.br/o-que-e-pair-e-como-prevenir/
http://www.protecao.com.br/noticias/doencas_ocupacionais/perda_auditiva_relacionada_ao_trabalho/AcjjJ9jg/8638)