Bem-Estar

Faça o teste de dependência à nicotina e dê o primeiro passo para parar de fumar.

  • 01/06/2017
  • 0 COMENTÁRIOS

Entre os diversos problemas de saúde que o hábito de fumar pode causar estão o câncer, doenças respiratórias e circulatórias. Além disso, o fumo traz problemas estéticos e até mesmo profissionais. Segundo especialistas, as empresas já sabem que um profissional que fuma tem maior chance de adoecer e de se ausentar do trabalho, diminuindo a sua produtividade e gerando gastos extras. Assim, o tabagismo pode se tornar um problema na hora de conseguir um emprego ou uma promoção no trabalho.

O tema vem à tona neste mês, pois no último dia 31 foi comemorado o Dia Mundial de Combate ao Tabagismo, que segundo dados da Fundação Mundial do Pulmão, até 2030 levará mais de 10 milhões de vidas por ano.

Se você não quer passar pela situação constrangedora descrita anteriormente, quer ter mais qualidade de vida e saúde –  com um melhor funcionamento do coração e dos pulmões; diminuir as possibilidades de desenvolver problemas cardiovasculares (infarto ou AVC) e câncer – a única alternativa é parar de fumar o quanto antes.   Confira a seguir algumas dicas de especialistas do site Tua Saúde, que irão ajudá-lo.

1 – Definir uma época para deixar de fumar

É fundamental definir uma data ou um período para deixar completamente o cigarro, num intervalo nunca superior a 30 dias depois de ter pensado em deixar de fumar.

Por exemplo, no dia 1 de um determinado mês pode-se planejar e visualizar a vida nova sem fumar e determinar o último dia possível para parar de fumar, como dia 30 do mês escolhido, ou definir um dia com significado, como terminar um curso, ter um novo emprego ou terminar um maço, por exemplo torna-se mais motivador e mais fácil de iniciar.

2 – Retirar objetos relacionados com o cigarro

Para deixar de fumar deve-se começar por tirar de casa e do trabalho todos os objetos relacionados ao cigarro, como cinzeiros, isqueiros ou pacotes de cigarro velhos.

3 – Evitar o cheiro

Uma outra dica importante é evitar o cheiro do cigarro e, por isso, deve-se lavar as roupas, cortinas, lençóis, toalhas e qualquer outro objeto que possa ter cheiro de cigarro. Além disso, evitar locais onde estão fumando também é aconselhável devido ao cheiro da fumaça.

4 – Comer quando surgir a vontade de fumar

Quando se deixa de fumar, deve-se manter à mão uma bala sem açúcar, um copo de água ou chá, pedaços de gengibre ou suco de goiaba, para mascar ou beber sempre que der muita vontade de fumar, ajudando também a diminuir a sensação de fome. É importante evitar alimentos ricos em gordura e açúcar, pois o risco de engordar é maior, sendo importante praticar atividade física durante este período.

5 – Fazer atividades agradáveis

Quando a vontade de fumar vier, é importante que o fumador se distraia, fazendo atividades que lhe dê prazer e substitua o sentimento de perda, por exemplo, passear ao ar livre, ir na praia ou jardim.

Além disso, deve-se fazer uma atividade que ocupe tempo e as mãos diariamente, como fazer crochê, jardinagem, pintar ou fazer exercício físico, são ótimas opções.

6 – Envolver a família

Para deixar de fumar, o processo é mais fácil e menos custoso quando a família e os amigos próximos estão envolvidos no processo e ajudam, respeitando os sintomas caraterísticos da abstinência, como irritabilidade, ansiedade, depressão, inquietação, mal-estar físico, dores de cabeça e alterações do sono, por exemplo.

Normalmente, quanto maior o grau de dependência maior a dificuldade de parar de fumar porém, o mais importante é a determinação para parar de fumar.  Segundo especialistas, em alguns casos, pode ser necessário acompanhamento médico para iniciar o uso de remédios, como comprimidos ou adesivo de nicotina, para ajudar a deixar de fumar.

A seguir há colocamos uma avaliação do grau de dependência à nicotina. É o Teste de Fagerström, utilizado como ferramenta na terapia para ajudar a parar de fumar. Faça o teste agora e não deixe de dar o primeiro passo e buscar ajuda médica, caso precise!

Teste de Fagerström

  1. Quanto tempo após acordar você fuma seu primeiro cigarro?
    Dentro de 5 minutos (3)
    Entre 6 e 30 minutos (2)
    Entre 31 e 60 minutos (1)
    Após 60 minutos (0)
  2. Você acha difícil não fumar em lugares proibidos como igrejas, bibliotecas, etc?
    Sim (1)
    Não (0)
  3. Qual o cigarro do dia que traz mais satisfação?
    O primeiro da manhã (1)
    Outros (0)
  4. Quantos cigarros você fuma por dia?
    Menos de 10 (0) _________
    De 11 a 20 (1) _________
    De 21 a 30 (2) _________
    Mais de 31 (3) _________
  5. Você fuma mais freqüentemente pela manhã?
    Sim (1)
    Não (0)
  6. Você fuma, mesmo doente, quando precisa ficar de cama a maior parte do tempo?
    Sim (1)
    Não (0)

Conclusão sobre o grau de dependência:

0 – 2 pontos = muito baixo

3 – 4 pontos = baixo

5 pontos = médio

6 – 7 pontos = elevado8 – 10 pontos = muito elevado

Uma soma acima de 6 pontos indica que, provavelmente, o paciente sentirá desconforto (síndrome de abstinência) ao deixar de fumar.

Graus de nicotino-dependência e sua percentagem de frequência, segundo a pontuação do Teste de Fagerström

0-1 – Cerca de 20% – fraca nicotino-dependência e leves sintomas da Síndrome de Abstinência (SA). Esses fumantes raramente precisam de ajuda para abandonar o tabaco.

2-3 – Cerca de 30% – certo grau de nicotino-dependência. Podem ocorrer sintomas mais acentuados da SA. Com alguma freqüência há abandono espontâneo do tabaco. O tratamento é de ajuda.

4-5 – Cerca de 30% – a nicotino-dependência é acima da média. Fracos sintomas de SA. Com freqüência, o tratamento obtém resultados positivos.

6-7 – Cerca de 15% – a nicotino-dependência é intensa, assim como também a SA. Os danos à saúde são elevados. O tratamento deve ser mais enérgico e mais prolongado que o geralmente recomendado. É indicado suporte psicológico, particularmente quando há estresse e alto consumo de álcool.

8-10 – Cerca de 5% – a nicotino-dependência é incoersível e é grave o quadro da SA. É essencial a ajuda psicológica e o tratamento farmacológico com vários medicamentos associados. Os resultados são negativos na maioria desses fumantes. É comum a associação de morbidade, ansiedade, depressão e alto consumo de álcool.

Nos fumantes com pontuação até três, os quais somam cerca de metade dos tabagistas, o aconselhamento mínimo é geralmente suficiente para abandonar o tabaco.

 

(Fonte pesquisa/Adaptação: http://zh.clicrbs.com.br/rs/vida-e-estilo/vida/noticia/2013/08/cigarro-pode-afetar-o-desempenho-no-ambiente-de-trabalho-4247585.html
https://www.tuasaude.com/6-dicas-para-parar-de-fumar/
www.ipe.rs.gov.br/upload/1369767592_teste_de_fagertron_fumantes.docx)