Bem-Estar
Dicas de Segurança

O que é e como se prevenir?

  • 21/07/2017
  • 0 COMENTÁRIOS

Aquela coceira, aquele vermelhidão que aparece na pele e, até mesmo alguns carocinhos podem ser um quadro de Dermatose, mais conhecida como inflamação da pele. Em alguns casos, a pele pode ficar grossa e muitas vezes rachada.  Segundo especialistas, essas doenças da pele também podem estar relacionadas ao ambiente de trabalho, nestes casos, elas são chamadas de Dermatoses Ocupacionais.

Mas, como se pega essa doença? Segundo especialistas, a camada exterior de pele (epiderme) é formada por novas células constantemente surgidas. Esse processo ocorre a cada dois meses e formam a cama protetora da pele chamada córnea, que é constantemente desgastada por contato. A dermatose ocupacional ocorre quando esse processo supera o período de dois meses de renovação da mesma.

Entre os tipos de dermatoses que existem estão as Dermatose de Contato, que ocorrem há o contato com determinadas substâncias no local de trabalho que lhe são nocivas. De acordo com estudos, no Brasil, os números de casos registrados são altos e pode trazer consequências de longo prazo para a saúde dos trabalhadores. Em casos extremos, a doença pode até dificultar a sua capacidade de continuar na atividade laboral. Pesquisas indicam que 10 anos após se pegar uma dermatite de contato, até 50% dos doentes ainda podem desenvolver problemas de pele.

A Dermatose Ocupacional de Irritação é outro tipo da doença e ocorre a partir do contato com uma substância que danifica a pele que pode estar no local de trabalho, mas que ninguém saiba. Esse tipo corresponde a 80% de todos os casos. Os locais mais comuns que tais irritações ocorrem são nos braços e no rosto. Existem muitos produtos que podem ser a causa de uma dermatose ocupacional como, por exemplo, irritação com detergentes, sabonetes e sabão em pó. Danos físicos como atrito, pequenos cortes e escoriações também podem danificar a camada protetora da pele e permitir o acesso às substâncias.

Por fim, o último tipo da doença tem característica alérgica. Neste caso, a dermatose ocupacional é provocada na pele do trabalhador pela substância por meio de uma reação alérgica após o contato inicial. De acordo com estudiosos, o risco de se tornar alérgico depende de vários fatores, tais como a natureza da substância ou um agente sensibilizador da pele. Além disso, algumas pessoas são particularmente mais vulneráveis a desenvolver dermatose ocupacional alérgica que outras.

Prevenção

Para evitar a Dermatose Ocupacional, tanto colaborador quanto empregado devem estar atentos. Mesmo que a responsabilidade em relação à doença seja,  legalmente, do empregador –  afinal ele deve oferecer um ambiente de trabalho seguro aos seus funcionários – é dever do empregado  fazer a sua parte respeitando seus deveres no tocante ao uso de proteção individual (EPIs), por exemplo.  Especialistas alertam que é preciso que se faça o uso de luvas e roupas especiais para evitar o contato direto da pele com a substância perigosa.

Só fique atento com a qualidade das luvas e suas propriedades. As luvas são úteis, mas é preciso saber selecionar a qual é correta para sua proteção, pois ela deve ser apropriada para sua atividade.  A luva deve oferecer proteção contra todos os produtos químicos, se você trabalha em um laboratório ou indústria farmacêutica, por exemplo.

Então, lembre-se: a prevenção é o melhor aliado para combater todos os dois tipos de dermatoses ocupacionais.  Ela também é um direito e um dever de todos que valorizam a saúde e a vida.

(Fonte de pesquisa: http://worksafety.blogspot.com.br/2011/11/medicina-do-trabalho-dermatoses.htmlhttp://saude.culturamix.com/doencas/dermatose-ocupacional-doenca-relacionada-ao-trabalho)