Bem-Estar
Dicas de Segurança

Autoconfiança como sua aliada

  • 23/06/2017
  • 0 COMENTÁRIOS

Ter coragem para enfrentar adversidades, ter motivação e acreditar em si são aspectos positivos para um profissional, pois apresentam a sua autoconfiança.

Mas todo cuidado com essas qualidades, o excesso delas pode ser prejudicial. Por isso, o conselho dos especialistas é um só: saiba lidar com a autoconfiança, buscando sempre o equilíbrio.

Em recente publicação do o Portal IBC (ibccoaching.com), o presidente do Instituto Brasileiro de Coaching José Roberto Marques esclareceu que a existência de confiança exagerada em si mesmo, pode haver prejuízos na carreira.  Eles afirmam que a maioria dos casos de excesso de confiança ocorre devido a ampla bagagem de experiência em determinada atividade.  Mas se isso não for tratado de forma equilibrada irá produzir resultados negativos. Assim, além de autoconfiança, é a importante desenvolver inteligência emocional.

Há diversos prejuízos na vida da pessoa que tem excesso de confiança, segundo os Marques, entre eles estão:

  • Falta de atenção aos detalhes. Quando o profissional está excessivamente confiante para desempenhar determinada ação, acaba perdendo a concentração e o foco na atividade. Nesse sentido, ele entra no modo automático e simplesmente age sem utilizar de seu senso analítico e, consequentemente, acaba deixando passar detalhes que podem comprometer a qualidade do trabalho.
  • Exposição a riscos.  Profissionais que cumprem funções operacionais podem ser prejudicados fisicamente, expondo-se a riscos e acidentes fatais causados por simples falta de atenção.
  • Construção de uma imagem negativa.  Um profissional muito confiante pode passar a impressão de ser arrogante, o que impacta negativamente nos relacionamentos interpessoais com os colegas de trabalho e promove um clima organizacional desfavorável, gerando queda na motivação, produtividade e resultados.  Além disso, o profissional pode se prejudicar durante as negociações, uma vez que ele pode parecer autoritário e fazer com que o cliente crie uma barreira que impede a aproximação e a empatia.
  • Estagnação. Quando o profissional é exageradamente confiante, tende a achar que possui domínio pleno na função em que desempenha. Como consequência, este indivíduo perde a oportunidade de evoluir e acaba até retrocedendo, uma vez que se desinteressa em continuar adquirindo novos conhecimentos sobre seu campo de atuação. Desse modo, ele entra em um processo de estagnação, o que diminui sua performance e a produção de resultados.

 

(Fonte para pesquisa/adaptação: http://www.ibccoaching.com.br/portal/coaching-e-psicologia/cuidado-com-excesso-de-confianca-no-ambiente-de-trabalho/ ;  http://www.blogsegurancadotrabalho.com.br/2017/01/problemas-excesso-de-confianca-trabalho.html ;  http://www.liveseg.com/dicas_auto_confianca.html)